Desde a Jornada Mundial da Juventude no Brasil, em 2013, o turismo religioso no Rio de Janeiro cresceu ainda mais e ganhou um novo significado: o chamado a vivenciar, espalhar e compartilhar a fé em Deus. Afinal, não se trata apenas de passar por diferentes pontos históricos que marcaram a evolução da cidade ou conhecer o maior número de igrejas possíveis. É mais do que isso!

E foi pensando nesses aspectos que reunimos, neste post, três dicas de locais que você não pode deixar de visitar quando estiver no Rio. Confira!

1. Igreja de Nossa Senhora da Candelária

Para começar, não podemos deixar de fora a Igreja de Nossa Senhora da Candelária, uma das mais famosas do Brasil. Idealizada por Antônio Martins Palma e Leonor Gonçalves — um casal de portugueses que naufragou na Baía de Guanabara e prometeu ali perto edificá-la caso sobrevivessem —, a construção do templo perdurou pelos séculos XVII e XVIII, sendo oficialmente inaugurada apenas em 1811.

Durante todo esse período, o projeto do templo foi concebido ora por brasileiros, ora por portugueses — o que resultou em uma arquitetura única de um dos principais pontos de peregrinação da religião católica no país e um dos grandes legados da capital carioca.

Nela, há o trabalho de grandes artistas, como Teixeira Lopes, José Cesário de Salles e João Zeferino da Costa. Não é à toa que a igreja foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) como um dos principais patrimônios histórico-culturais da nação.

2. Igreja de São Francisco da Penitência

Outro lugar que se tornou destino obrigatório para quem faz turismo religioso no Rio de Janeiro é a Igreja de São Francisco da Penitência. Com uma fachada discreta que remete ao período colonial — visto que sua construção iniciou em 1657 —, ela surpreende todos os visitantes pelo interior totalmente revestido de ouro.

Mas não acaba aí! A igreja já conta com centenas de detalhes entalhados por um dos mais importantes escultores barrocos, o Aleijadinho. Além disso, devido ao aspecto histórico-cultural do templo e da região em que se encontra, o Largo da Carioca, hoje existe um centro cultural que engloba, além da igreja, o Museu Sacro Franciscano — responsável por levá-lo em uma verdadeira viagem no tempo!

Porém, esse não é o principal destaque desse espaço secular de fé e oração. Ao contrário, ele é um lembrete da vida de São Francisco, que abriu mão do luxo e do poder para dedicar a própria vida a espalhar a palavra de Deus aos mais pobres e desafortunados.

3. Basílica Santuário Nossa Senhora da Penha

Por último, há a Basílica Santuário Nossa Senhora da Penha. Ela foi fundada em 1728 sobre um penhasco na região da Penha — no lugar da antiga capela (e posterior igreja) levantada por Baltazar de Abreu Cardoso, que serviu como símbolo da devoção mariana após uma graça alcançada que poupou a vida dele.

Contudo, um dos pontos mais marcantes desse lugar, a escadaria com mais de 380 degraus talhados em pedra, só foi construído em 1819, como promessa de Maria Barbosa por conta de outra graça realizada: a gestação do primeiro filho.

Devido ao histórico de milagres alcançados pelos fiéis, às constantes peregrinações e aos eventos anuais que movimentam a economia municipal, o local se converteu em basílica por intermédio das ações de diversos cardeais junto ao Vaticano e, em especial, ao Papa Francisco.

Como você viu, não faltam lugares especiais para conhecer quando o objetivo é realizar turismo religioso no Rio de Janeiro. Por isso, programe já a sua próxima viagem a esses templos que evocam todos os dias a importância de viver no amor de Cristo!

E se você tem outras dicas de destinos na cidade maravilhosa, já sabe: compartilhe com a gente nos comentários!